Transparência

 

 

 

 

 

Fornecedor

Servidor Público

Busca



Busca Avançada

 

 

Histórico de Assaí

 

Histórico de Assaí

historico imagem site

Assaí nasceu e cresceu ao impulso colonizador, implementada pela “BRATAC – Sociedade Colonizadora do Brasil Ltda, que adquiriu a Fazenda Três Barras, com 13.600 alqueires, localizada no município de São Jerônimo da Serra” (Asari, 1992), com respaldo da Administração Pública do Estado e com o apoio do capital japonês para financiamento de suas lavouras e na compra da produção. 

 “A BRATAC era uma empresa de economia mista, com capital constituído pelos contribuintes das províncias japonesas e de particulares e dividido em ações no valor de 50 ienes. Propunha-se recrutar e encaminhar os imigrantes de colonização agrícola não deixando-os isolados, mas organizando-os como colonos-proprietários, em núcleos planejados”. Vieira (1973:45).  

 A comunidade japonesa esta diretamente ligada a colonização de Assaí, confirmado nos sobrenomes de seus fundadores, assim como na colonização de todo norte do Paraná, sendo poucas as cidades que não tiveram a participação nipônica em seu desbravamento. Em nenhuma delas, porém, foi tão intensa quanto em Assaí.   

Ainda nos dias de hoje, constata-se a forte presença dos japoneses no município, além dos traços orientais nos rostos dos assaienses, a  estrutura organizacional da comunidade nipônica é destaque e motivo de admiração por todos na atualidade, observados na organização de festas e eventos tradicionais, nas cooperativas, no sistema de produção de frutas no espaço agrícola e em suas associações. 

 Assaí carrega as tradições e a língua japonesa do final da década de 1930, dos seus primeiros colonizadores, essas tradições são realimentadas ano a ano pelos filhos e netos de japoneses que vão ao Japão para trabalhar e passear e retornam constatando que Assaí tornou-se a memória do Japão por conservar hábitos e tradições já extintos pela evolução tecnológica de seu país de origem.

Evolução Administrativa.

Distrito - em 1938, de conformidade com o Decreto Lei nº 7573, de 20 de outubro daquele ano, foi elevado a categoria de Distrito pertencente ao município de São Jerônimo da Serra, como território desmembrado do Distrito de Jataí do mesmo município.


Município - Devido ao impulso e desenvolvimento sócio econômico a densidade geográfica e de conformidade com as normas estabelecidas na Lei Orgânica Nacional nº 311, de 02 de março de 1938, o Governo do Estado, através do Decreto Lei nº 199 de 30 de dezembro de 1943, criou e elevou a categoria de Município, com território desmembrado do Município de São Jerônimo da Serra, com sede onde se localiza a sua atual cidade, tendo como parte integrante do seu território os distritos de então Jataí e Uraí, estes mais tarde através da Lei nº 02 de 10 de outubro de 1947 foram elevados a categoria de Município perdendo assim Assaí, três anos mais tarde, elevada a área de seu território.


Emancipação - O município de Assaí foi solenemente instalado no dia 28 de janeiro de 1944, de acordo com as normas estabelecidas pela Lei Orgânica Estadual nº 311, de 02 de março de 1938, conforme consta na Ata de Instalação, livro próprio da Prefeitura Municipal, ato este presidido por seu Prefeito Municipal nomeado pelo Governador do Estado do Paraná, Major José Scheleder da Polícia Militar do Paraná, o qual elevada assistência assim se expressou: -"Na forma da Lei de acordo com o previsto eu Major Schedeler, declaro instalado o município de Assaí. Assim fique registrado na história do Paraná para o conhecimento de todo e perpétua lembrança das gerações futuras”.

Evolução da População.

Com a fertilidade do solo, o Município teve um rápido povoamento sendo em 1940, calcula-se que aproximadamente 28.000 pessoas habitavam a área que hoje pertence a Assaí.Houve um aumento populacional urbano, a partir da década de 70, devido a migração do trabalhador braçal para a cidade, em conseqüência da mecanização agrícola com a entrada da soja, milho e do trigo, substituindo o algodão e o café que foi erradicado em conseqüência da grande geada de 1975. 

Evolução da Economia.

A terra roxa da região da Fazenda Três Barras – hoje Assaí, fez com que muitas famílias especialmente do interior de São Paulo, oportassem na Terra do Sol Nascente para a cafeicultura na década de 30 e 40. A antiga Fazenda Três Barras, como o norte do Paraná, foi coberto de verde do café – a fase do Ouro Verde. Com a grande geada de 1954 destruindo os cafezais, aumentou-se sensivelmente o plantio de algodão, substituindo-se pouco a pouco o café. Nos anos de 1960, Assaí foi considerada a capital do algodão, a fase econômica do Ouro Branco. Para ter uma idéia, nessa época funcionavam a todo vapor seis máquinas de algodão. Assaí tornou-se o centro da microrregião algodoeira. As dificuldades do campo começaram. As geadas de 1963 e 1975 acabaram definitivamente com os cafezais. Começa uma nova fase agrícola de Assaí e região: a mecanização agrícola, a soja e trigo começaram a dar uma nova paisagem ao campo.A partir de 1975 aproximadamente, aumenta a produção hortifrutigranjeira. Assaí começa a se destacar na produção de uva Itália.A partir de 1980 começa aflorar a pecuária na região. O campo muda, a cidade evolui com a migração do trabalhador rural para a cidade, começam as construções dos conjuntos habitacionais e a preocupação coma a industrialização para atender o crescente aumento de trabalhadores urbanos. 

Acidentes Geográficos.

Os principais acidentes geográficos do município são os seguintes: o caudaloso Rio Tibagi, que ocorre em direção ao sul-norte que serve de divisa, lado oeste do município com os de Londrina e Ibiporã; no lado sul o Ribeirão São Paulo, depois o Rio São Jerônimo que corre em direção leste-oeste e lhe serve de divisa no lado sul, com os municípios de Santa Cecília do Pavão e São Jerônimo da Serra, a seguir os Ribeirões de Jataizinho e Peroba que percorrem em direção leste-oeste desembocando no Rio Tibagi, Ribeirão do Tigre que nasce na Secção Bálsamo e corre em direção sul-norte e lhe serve de divisa com os municípios de São Sebastião da Amoreira e Nova América da Colina.