Transparência

 

 

 

 

 

Fornecedor

Servidor Público

Busca



Busca Avançada

 

 

CULTURA JAPONESA

 

CULTURA JAPONESA

  WADAIKO

Wadaiko significa a arte dos tambores japoneses. OWadaiko é para preparar as pessoas para a batida de Taiko.

 Atualmente em Assaí existe um grupo particular de Wadaiko, conhecido Keshin Wadaiko e coordenado por Setsuko Gooshi, neste grupo praticam pessoas de 6 anos até 70 anos e realizam apresentações onde forem solicitados, mantendo dessa forma a tradição japonesa viva na comunidade assaiense.

 TAIKO

A palavra TAIKO significa “grande tambor” em japonês e é somente a batida do tambor, praticada somente pela Liga das Associações Culturais de Assaí – LACA em festas de Bon Odori.

 

 

 

 

 

 

 

 

  EXPOASA 

A EXPOASA – Exposição Agrícola de Assaí é uma das mais antigas feiras de exposições do Brasil, realizada tradicionalmente no mês de Junho desde 1943 a feira atraí milhares de pessoas para visitar a feira.

 Durante a feira os produtos em exposição são comercializados, porém retirados somente no último dia de feira, há também exposição de carros, motos, implementos agrícolas, entre outros.  

Inúmeros visitantes prestigiam a exposição, sendo tanto para visitação das mostras dos variados produtos japoneses, apresentações artísticas japonesas, quanto para saborear os pratos típicos da culinária japonesa ou participar dos entretenimentos destacados na feira como o Bon Odori e Matsuri Dance.

 

BON ODORI

Em Assaí, O Bon OdoriBon Odori é um festival que ocorre sempre após o pôr do sol, pois prevalece a crença de que os espíritos somente saem durante a noite. Em Assaí a festa acontece tradicionalmente duas vezes ao ano, a primeira sempre no dia primeiro de Maio no Aniversário do Município organizada pela Liga das Associações Culturais de Assaí – LACA e a segunda pela Igreja Budista Shoshinji. Durante o Bon celebram-se as almas dos antepassados com danças em grupo e levando-se lanternas acesas saudosamente lembrando da sabedoria dos antepassados. Apesar de análogo ao dia dos finados, durante o Bon são tocadas músicas tradicionais alegres e, sobretudo, predomina um clima de jovialidade, gratidão e participação geral. 

Muitas famílias aproveitam a oportunidade para se reencontrarem durante o Bon, voltando das grandes cidades aos seus lugares de origem. O Bon também é celebrado em comunidades de imigrantes japoneses e seus descendentes e amigos fora do Japão: Por exemplo nos estados de São PauloParáAmazonasMato Grosso do SulPernambuco,BahiaSanta Catarina e Paraná, no Brasil. O Bon Odori acontece também nos Estados Unidos, nos estados de HavaíOregonWashington e na Califórnia.

 

 

TANABATA – “FESTIVAL DAS ESTRELAS”

A primeira festa de Tanabata a ser realizada no Brasil foi em Assaí, no ano de 1978 e desde então é comemorada nos meses de Setembro ou Outubro de cada ano. Uma antiga lenda japonesa deu a origem ao Festival Tanabata.Conta a lenda que há muito tempo, morava próximo da Via-Láctea uma linda princesa chamada Orihime a Princesa Tecelã". Certo dia Tentei o "Senhor Celestial", pai da moça, apresentou-lhe um jovem e belo rapaz, Kengyu o "Pastor do Gado" (também nomeado Hikoboshi), acreditando que este fosse o par ideal para ela. Os dois se apaixonaram fulminantemente. A partir de então, a vida de ambos girava apenas em torno do belo romance, deixando de lado suas tarefas e obrigações diárias. Indignado com a falta de responsabilidade do jovem casal, o pai de Orihime decidiu separar os dois, obrigando-os a morar em lados opostos da Via-Láctea. A separação trouxe muito sofrimento etristeza para Orihime. Sentindo o pesar de sua filha, seu pai resolveu permitir que o jovem casal se encontrasse, porém somente uma vez por ano, no sétimo dia do sétimo mês do calendário lunar, desde que cumprissem sua ordem de atender todos os pedidos vindos da Terra nesta data. Na mitologia japonesa, este casal é representado por estrelas situadas em lados opostos da galáxia, que realmente só são vistas juntas uma vez por ano: Vega(Orihime) e Altair (Kengyu). Durante o Festival Tanabata, crianças e adultos escrevem seus desejos em tiras estreitas de papel coloridos, prendem nos galhos de bambu e rezam para que seus desejos se realizem.